Certificado Digital

Transparência

Serviços

Notícias

06/04/2018

Governo garante investimento privado de R$ 695 milhões

O governador Beto Richa assinou nesta quinta-feira (5) mais sete protocolos e dois decretos que viabilizarão investimentos privados de R$ 695,55 milhões no Estado. São projetos de empresas nacionais e estrangeiras que contemplam instalação e ampliação de unidades produtivas em áreas de tecnologia, como internet via satélite, informática, autoadesivos, eletrodomésticos e e-commerce. A cerimônia para enquadramento no programa de incentivos Paraná Competitivo e assinatura dos acordos ocorreu no Palácio Iguaçu.

Richa afirmou que estes novos investimentos consolidam o maior ciclo de industrialização da história do Estado. “Já são R$ 45,5 bilhões em empreendimentos atraídos pelo Paraná Competitivo, com a geração de mais de 400 mil empregos, sendo 70% deles no interior”, afirmou Richa.

Ele destacou que o Paraná voltou ao mapa de investimento nacional e estrangeiro. “Isso graças ao bom diálogo com o setor privado, ao programa de incentivo planejado e bem conduzido, à segurança jurídica e aos investimentos feitos na infraestrutura, que aumentaram a competitividade do Estado”, afirmou Richa. Ele mencionou a Volkswagen, que nesta semana confirmou R$ 2 bilhões em investimentos na produção de um carro novo.

O secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, também enfatizou a situação diferenciada do Paraná. “Dez empresas anunciando investimentos, uma coisa rara no Brasil. Isso demonstra a confiança do empresariado. Enquanto o País está em crise, o Paraná prospera”, disse ele.

PROTOCOLOS - Entre os protocolos assinados, o maior investimento é da Yahsat, empresa dos Emirados Árabes que atua no ramo de internet por satélite e que está desembarcando no mercado brasileiro. A empresa, que no Brasil tem sede no Rio de Janeiro, está investindo R$ 227,5 milhões na implantação de um centro de armazenagem e distribuição em Curitiba.

“O Paraná foi escolhido por ser estratégico do ponto de vista da logística, de transparência e qualificação de profissionais. E o programa do governo, com o incentivo via ICMS, simplifica muito o nosso negócio”, disse Márcio Tiago, presidente da empresa no País.

O Paraná ganhou a disputa com São Paulo para receber os novos investimentos da Atlas, fabricante de eletrodomésticos de Pato Branco, no Sudoeste. A empresa adquiriu a Dako, que tinha fábrica em São Paulo, e vai transferir maquinário e concentrar a produção no Paraná, com investimento de R$ 64,3 milhões na expansão da planta industrial. Serão gerados 350 empregos em quatro anos.

“Com o benefício do programa, acabamos decidindo por trazer a produção para o Estado, que já tem uma alta produtividade. O mercado hoje já é concentrado em São Paulo e temos uma diferença de frete, que é um custo a mais. Com o benefício, conseguimos competir de igual para igual”, diz Luiz Afonso Wan-Dall Junior, representante legal da empresa.

Outro investimento na área de eletrodomésticos é da sueca Electrolux, que prevê R$ 220,85 milhões na modernização e expansão da unidade fabril de Curitiba. Ricardo Cons, presidente da empresa, disse que a intenção é transformar a unidade em uma plataforma global de produção.

“Vamos gerar 80 empregos nesse processo, de alta qualificação, já conectados com a indústria 4.0. Serão engenheiros, profissionais de logística e de tecnologia de informação”, disse ele. “Sem o incentivo do governo, a produção dessa fábrica, que sempre foi exemplo de design e inovação, ficaria defasada e perderia espaço”, completou, lembrando que a empresa gera 4 mil empregos em Curitiba.

ANTENAS E ADESIVOS - O governador assinou ainda dois decretos - um para estimular a produção de antenas e outro para o setor de autoadesivos. Além disso, foi assinada uma resolução que permite o repasse de R$ 10 milhões para a área de esporte.

A Colacril, fabricante de autoadesivos, de Campo Mourão, pretende investir cerca de R$ 100 milhões nos próximos anos para ampliar em 50% a capacidade de produção. “O governo do Paraná sempre apoiou a empresa a cada expansão. Agora essa redução de ICMS está sendo concedida em contrapartida desse investimento”, disse Ricardo Lobo, presidente da empresa.

“Hoje geramos 400 empregos diretos, de alta qualidade em uma região predominantemente agrícola. Devemos contratar mais 100 pessoas dentro de três anos”, explicou. Dos R$ 100 milhões previstos, R$ 65,4 milhões receberão benefícios.

Também são beneficiadas com apoio do Governo do Estado as empresas Uninter Informática, G2W, Ferramentas Kennedy Ltda, Indemil e Taurus.

KIDASEN - Na mesma solenidade, o governador Beto Richa também assinou a alteração do primeiro artigo do decreto n. 1.922, que dispões sobre a concessão de crédito presumido de ICMS aos estabelecimentos industriais fabricantes, para acrescentar itens à tabela de produtos beneficiados.

Com a mudança, devem ser incluídas na lista os produtos antenas para TV e radiocomunicação, antenas para celular e antenas de internet. Dessa maneira, incentivando a indústria local, a expectativa é de que sejam substituídas as importações desses produtos, principalmente da China.

Com a alteração, a empresa Kidasen Indústria e Comércio de Antenas, de Maringá, pretende realizar um investimento no valor R$ 2 milhões.

A modificação do decreto objetiva equiparar o tratamento tributário mais benéfico a esse tipo de indústria concedido por Minas Gerais e Santa Catarina.

Atualmente há uma grande demanda para o mercado de antenas em razão da substituição do sinal analógico pelo digital. Com o incentivo, a previsão de produção desses equipamentos deve ultrapassar 20 milhões de unidades.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.